terça-feira, 21 de janeiro de 2020

História e técnicas da radioastronomia

Um artigo básico, introdutório, que fornece um breve histórico e explica os princípios fundamentais dessa técnica.

É bem possível que a astronomia tenha sido a primeira ciência especulada pela humanidade. Através da arqueologia foi possível obter fragmentos de informações sobre várias civilizações que se preocupavam com os astros. Em épocas mais recentes, tivemos a grande contribuição do mundo árabe, em estudos dos astros e sua posição no firmamento. Tanto isso é fato indiscutível que muitas das constelações e astros que conhecemos ainda portam nomes de origem árabe.

Com o advento do rádio, um grupo inquieto de estudiosos dedicou-se a pesquisar os céus, buscando captar sinais que, segundo acreditavam, eram emitidos por outros corpos celestes. Alguns procuravam sinais que evidenciassem a presença de vida inteligente, outros simplesmente desejavam com a sensibilidade dos receptores, ir além dos limites permitidos pelos telescópios óticos. Todos esses esforços redundaram em uma aplicação prática da ciência, conhecida como radioastronomia.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Como projetar e construir seu próprio TX para radioamadorismo

Este artigo tem como objetivo a simplificação do dimensionamento elétrico de circuitos, assim como recordar as práticas de montagem, a ponto de qualquer  radioamador ter condições, em apenas algumas horas, de montar e ajustar o transmissor aqui descrito.

O memorial de cálculo, ou seja, as "contas" aqui apresentadas não se destinam a empresas ou àqueles que buscam os mínimos detalhes. Na verdade, isto é apenas um guia prático, que tem a finalidade de permitir que o amador ou técnico construa seu próprio TX. O artigo é destinado principalmente ao experimentador, fornecendo subsídios para o completo desenvolvimento e teste dos circuitos.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

A transmissão AM não morreu... na verdade ela nunca existiu...

Ao longo dos anos, os radioamadores tem se utilizado de várias modalidades de transmissão. No passado, as regras e regulamentos permitiam o uso de certos tipos de modulação, especificamente em certas frequências. Infelizmente, porém, tais regras tornaram pouco claros os fatos atuais relacionados à modulação. Um bom uso do espectro requer uma cuidadosa seleção das modalidades de transmissão e, para tal, precisamos entender suas características.

A mais simples das modalidades é AM; quando a radiotelefonia foi inventada, ela empregava modulação em amplitude. Acreditou-se durante um bom tempo, e isso perdura um pouco até hoje, que AM consistisse da variação da potência de portadora transmitida, de acordo com o sinal de áudio. Na verdade, para se entender AM, só é preciso compreender o princípio de operação dos misturadores. Sempre que dois sinais são aplicados a um misturador, vão aparecer na saída os dois sinais originais, e também a soma e a diferença dos mesmos. Desse modo, se um sinal de 1MHz for misturado com outro de 1 kHz, a saída será constituída por quatro frequências: 1MHz, 1kHz, 0,999MHz e 1,001MHz.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

O casamento de impedâncias e a relação de onda estacionária

Um artigo dirigido a radioamadores e técnicos que explica, de forma simples e direta, tudo o que é preciso saber sobre máxima transferência de potência e sobre a ROE.


"Casar impedâncias" significa acoplar, de forma eficiente, um gerador à sua carga, com a finalidade de obter o melhor resultado, ou seja, a máxima transferência de potência para a carga.

domingo, 17 de novembro de 2019

A importância de alimentar corretamente o seu transmissor

Alguns poucos volts à menos pode representar perdas significativas de potência, enquanto alguns volts à mais pode colocar seu equipamento em risco.

Isto pode ocorrer porque a potência não é simplesmente proporcional a tensão, ela é proporcional ao quadrado da tensão. Significa  que, se dobrarmos a tensão num circuito resistivo, a potência será quadruplicada. Por outro lado, reduzindo-se a tensão à metade, a potência ficará reduzida à metade duas vezes, ou à metade da metade, que é um quarto da potência original.

Os tipos de modulação

Normalmente, o sinal a ser modulado em qualquer sistema de transmissão interfere em algum parâmetro de um sinal de frequência bem mais alta, conhecido como sinal da portadora. O sinal que faz com que algum parâmetro da portadora varie é conhecido como sinal modulante, ou simplesmente a informação. O sinal da portadora é geralmente uma senóide e a informação interfere nos seguintes parâmetros: nível, frequência e fase da portadora. Outros tipos de modulação podem ser aplicados a sinais especiais, por exemplo, a modulação em largura e posição de pulso.

sábado, 16 de novembro de 2019

As especificações dos equipamentos da Faixa do Cidadão

Se você é um operador da faixa do cidadão, e não tem especialização em eletrônica ou telecomunicações, é bem provável que encontre dificuldades em interpretar os dados técnicos do catálogo do seu equipamento. Por outro lado, se você já tem experiência no assunto, um sumário de especificações técnicas pode lhe ser de grande utilidade. Dividimos, assim, o tranceptor da faixa do cidadão em duas partes, que serão analisadas separadamente.


Especificações da seção receptora


Sensibilidade do receptor é um parâmetro que expressa dois fatores distintos: primeiramente, a mínima potência de sinal a que o receptor vai responder, medida em microvolts (µV); em segundo lugar a razão sinal/ruído gerada pelos circuitos do aparelho. Se esse ruído interno for suficientemente elevado, vai mascarar o sinal, tornando impossível a recepção.

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Distorção Harmônica em Alto-falantes

Um certo tipo de de distorção produzido pelos sistemas de alto-falantes caracteriza-se pela geração de harmônicos, quando os mesmos estão reproduzindo um único tom, durante algum tempo. Este artigo traz alguns esclarecimentos sobre esse tipo de distorção, efetuando, inclusive, um teste, utilizando três frequências puras, relacionadas com a escala musical.


Se um sinal enviado a um alto-falante, formado apenas por um tom perfeitamente puro, é reproduzido com harmônicas adicionadas a ele, está ocorrendo distorção harmônica. Como estamos nos referindo a um tom simples, os componentes da distorção serão compostos pelas harmônicas dessa frequência fundamental.

Sabemos que os audiófilos, em geral, são mais afeitos a tons da escala musical, no que se refere a medidas de distorção, do que a frequências aleatórias de teste, as quais possuem uma base técnica, mas não musical. Por tal razão, utilizamos frequências de teste pertencentes a tons bem conhecidos da escala musical.

PLL - Sintetização Digital na Faixa do Cidadão

As frequências da Faixa do Cidadão eram divididas em 23 canais que se estendiam de 26,965 a 27,255 MHz. O espaçamento entre canais eram de 10 kHz, exceto por algumas frequências intermediárias, reservadas para aplicações de radiocontrole.

Nos Estados Unidos, em resposta ao grande aumento no número de usuários, e o consequente "congestionamento" da faixa, o FCC, órgão competente nestes casos, autorizou o estabelecimento de mais 17 canais, a partir de 1º de janeiro de 1977, o que alargou a faixa até 27,405 MHz.

Os primeiros tranceptores da Faixa do Cidadão usavam um par de cristais para cada canal, sendo um deles para gerar a frequência de transmissão e o outro, para o oscilador local do receptor. Quanto maior fosse o número de canais abrangido pelo aparelho, tanto maior seria a quantidade de cristais necessários e consequentemente, mais caro seria o aparelho. Mais recentemente, havia surgido uma técnica chamada "cristalplexação" (crystalplexing), que necessitava apenas 14 cristais para os 23 canais. Alguns desses cristais operavam em torno dos 35 MHz, outros perto de 8 MHz, para controlar três osciladores; as frequências apropriadas eram conseguidas pela mistura e combinação de várias frequências dos osciladores.

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Fonte Estabilizada 13,8 volts 5 ampères

Uma fonte com excelente estabilidade, pouquíssimo "ripple", tensão ajustável numa faixa de 12 a 14 volts e corrente de até 5 ampères de saída, proteção e indicação contra sobrecargas e curtos. É de fácil montagem, pois contém poucos componentes (o integrado faz praticamente todo o serviço).