quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Tabela de Fios de Cobre

O primeiro ponto a ser observado na escolha de um condutor para uma instalação elétrica é a capacidade de corrente, que deve ser suficiente para permitir sua livre condução, sem aquecimento excessivo. Outros pontos de grande importância também devem ser observados na escolha de um bom condutor, principalmente os relacionados com a previsão da quantidade de fio necessária a determinada aplicação, seu custo e o volume que ocupará em determinada disposição.

A classificação dos fios de cobre é feita segundo seu diâmetro (bitola), correspondendo a cada valor dessa grandeza um número de ordem. Esses  números foram obtidos pela primeira vez por uma empresa americana, a Brown & Sharp (B&S), sendo esse o motivo de designar os fios por um número, seguido pela sigle B&S, indicando que o número se refere à tabela dessa empresa. Posteriormente, essa numeração foi adotada por todas as indústrias americanas, passando a ser denominada AWG (American Wire Gauge). Como os valores das duas tabelas coincidem para um mesmo fio, encontrando-se uma indicação de número de fio seguida pela sigla B&S, também se pode determinar suas características pela tabela AWG.


Nessa tabela encontramos 7 colunas com as informações que se seguem:

1ª coluna - Nesta coluna temos os números de ordem dos fios, em valores crescentes,

2ª coluna - Nesta coluna temos os diâmetros correspondentes dos fios, dados em milímetros.

3ª coluna - Nesta, temos uma indicação da área da secção transversal do fio, ou seja, da área que se obtém ao se fazer um corte perpendicular ao fio; esta especificação é dada em milímetros quadrados.

4ª coluna - Nesta quarta coluna temos uma informação que nos permite saber quantas espiras (voltas) cabem num enrolamento de 1 centímetro de comprimento feito com o fio correspondente. Com essa informação é possível o cálculo prévio do comprimento do suporte (tubo) em que se deve fazer o enrolamento.

Para fazer este cálculo devemos proceder do seguinte modo: suponhamos que desejamos fazer um enrolamento de 50 espiras de fio 25 sobre um tubo com uma espira encostada na outra (enrolamento cerrado). Examinando a tabela, verificamos que o fio 25 permite a obtenção de enrolamentos cerrados de 20 espiras por centímetro. Isso quer dizer que 50 espiras ocuparão 50 / 20, ou seja, 2,5 centímetros do tubo. Poderemos, então, usar para esta bobina um tubo de 3 cm de comprimento.

5ª coluna - Nesta coluna temos a indicação de quantos quilos pesa 1 quilômetro (1000 metros) do fio, sendo de grande utilidade esta informação quando se trabalha com fio esmaltado, que sempre é vendido por peso. Através dessa informação, conhecendo o número de metros de determinado fio, podemos calcular seu peso. (Os fios para enrolamentos de motores e bobinas esmaltados são vendidos por peso, enquanto que os fios com capa plástica são vendidos a metro). Exemplo: queremos comprar 100 metros de fio 18; consultando a tabela, verificamos que 1000 metros de fio 18 pesam 7,3 kg; 100 metros pesarão (100 / 1000) x 7,3 = 0,73 ou 730 gramas. Naturalmente, compraremos 800 gramas de fio, representando alguns metros a mais que o previsto pelo cálculo, por medida de precaução.

6ª coluna - Nesta coluna temos a resistência elétrica do fio em ohms por cada 1000 metros, ou seja, a capacidade de oposição à corrente do fio em questão. Com esse dado podemos calcular a resistência elétrica de dado comprimento de fio, a resistência elétrica de um motor ou de um enrolamento qualquer.

7ª coluna - Nesta coluna temos a indicação da corrente máxima (em ampères), que suporta o fio correspondente, sem se aquecer excessivamente. Por exemplo: sabemos que determinado enrolamento de transformador é percorrido por uma corrente de 3 ampères, quando em funcionamento normal; examinando a tabela de fios, verificamos que o fio 17 pode suportar correntes de até 3,2 ampères; usamos então esse fio para obter funcionamento normal do dispositivo.






Nenhum comentário:

Postar um comentário